Múcio promete trabalhar para esvaziar CPI da Petrobras

O ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência, José Múcio Monteiro, avisou hoje que vai trabalhar o dia todo para conseguir retirar as assinaturas necessárias para esvaziar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras e tentar reverter a manobra realizada pelo PSDB, na manhã de hoje, para instalação da CPI. "Será um dia complicado, de muita dificuldade", disse o ministro, ao sair do Palácio da Alvorada, onde se reuniu com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro da Secretaria de Comunicação Social, Franklin Martins.

TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

15 de maio de 2009 | 12h49

Segundo Múcio, o presidente Lula comentou, durante o encontro, que não entendia a razão de a oposição estar fazendo isso agora, já que a Petrobras é a empresa que mais está investindo no País, lembrando ainda que a empresa vai assinar um acordo importante com o governo chinês para mais investimentos. Ele disse, no entanto, que Lula não está chateado nem irritado.

O requerimento que foi lido no plenário do Senado hoje tinha 32 assinaturas favoráveis à criação da CPI da Petrobras. São necessárias 27 assinaturas para a instalação de uma CPI, o que significa que o governo precisa conseguir retirar seis assinaturas para esvaziar a Comissão. Os senadores podem retirar ou acrescentar a assinatura no requerimento até meia-noite de hoje.

Mais conteúdo sobre:
CPI da PetrobrasSenadoMúcio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.