Múcio: governo não teme criação de CPI sobre cartões

O ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, disse hoje que não teme a criação de uma CPI para investigar os gastos do governo com cartão de crédito corporativo. Ele lembrou que o governo estabeleceu hoje novas regras e que, por isso, "não há matéria" para justificar uma CPI. "Evidentemente os que desejam luzes podem aproveitar qualquer crise para pedir a instalação de uma CPI", afirmou. "Mas desde que se explique os gastos, como estão sendo apresentadas as explicações, não há motivos para uma CPI." Múcio disse que não tratou desse assunto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas disse que "isso (o gasto irregular com cartões de crédito corporativo) está na mesa do presidente". O ministro minimizou a possibilidade de a oposição insistir em uma CPI para manter o governo na berlinda durante o ano eleitoral. "Isso vai ter começo, meio e fim. Estamos no meio", comentou. Os parlamentares, segundo ele, querem explicações e elas estão sendo dadas. Diante da insistência dos repórteres sobre a possibilidade de a oposição tentar instalar a CPI, Múcio afirmou: "A oposição está no seu papel". No entanto, ele disse que é preciso saber qual é o foco da investigação. "É o uso do cartão ou é para teatralização que, às vezes, ocorre em algumas CPIs. Se for só para fazer política... Acho que não chegaremos a isso."MatildeEm relação específica ao caso da ministra da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro, o ministro disse que é cedo para se fazer julgamentos e que ele não tem conhecimento detalhado sobre o que aconteceu e quanto as explicações que foram dadas por ela para justificar as despesas no cartão corporativo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.