Múcio: Dornelles sugeriu a Lula adiar reforma tributária

O senador Francisco Dornelles (PP-DF) sugeriu hoje ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante reunião do Conselho Político, que o governo adie o envio da proposta de reforma tributária ao Congresso, previsto para o próximo dia 30. O senador ponderou que seria melhor para o governo evitar a discussão simultânea de dois temas polêmicos como a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) e reforma tributária. "Estamos na bica de aprovar a CPMF", disse Dornelles na reunião, segundo relato do líder do governo na Câmara, José Múcio (PTB-PE). "O presidente Lula ficou de avaliar a sugestão", disse Múcio.O líder não considera que o adiamento da discussão da reforma tributária possa ser interpretado como um rompimento do acordo fechado para garantir a aprovação da CPMF, no Senado. "Uma coisa é o compromisso de enviar, outra é começar a discutir o mérito", disse. Segundo José Múcio, a definição da reforma tributária é de interesse de todos, na medida em que há perspectivas de alcançar vantagens com as novas regras tributárias.Ele informou ainda que, durante a reunião, ficou definido que somente no primeiro trimestre do próximo ano será enviada ao Congresso a proposta de reforma política. O líder explicou que o governo quer a discussão dessa reforma seja articulada por meio dos presidentes dos partidos para não contaminar a discussão, em plenário, de outros temas de interesse do governo.Múcio explicou ainda que o governo tentará reformular o conceito de fidelidade partidária, mas não detalhou a proposta. "Vamos encontrar uma fórmula para a questão da fidelidade partidária", disse, ao afirmar que o adiamento "se deve ao fato de que o assunto não é tão urgente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.