Múcio atribui folga para Dilma a tratamento médico

O ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, disse hoje que "é justo" que a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, tire uns dias de descanso "depois de tudo que ela passou", referindo-se às sessões de quimio e radioterapia a que a virtual candidata à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva se submeteu. No entanto, Múcio afirmou que isso só ocorrerá depois do anúncio do marco regulatório do pré-sal - camada de petróleo situada abaixo do leito marinho -, previsto para segunda-feira que vem. Dilma deverá tirar pelo menos uma semana de folga.

TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

25 de agosto de 2009 | 14h25

Questionado se esta saída não seria estratégica para livrar a ministra do furacão provocado pelas acusações da ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira, Múcio declarou: "Ela é candidata a presidente da República. O furacão vai ser sempre. No meio de 192 milhões de brasileiros, uma foi escolhida para ser nossa candidata. Então, os problemas vão sempre estar em torno e ela não vai fugir dos problemas nunca." A ex-secretária afirma que foi procurada por Dilma para acelerar as investigações contra o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A ministra nega que tenha feito o pedido.

José Múcio insistiu que o descanso da ministra se deve a um pedido dos médicos. "Foi orientação médica. Ela precisava de um descanso. Ela trabalha mais do que nós todos. Precisava dar um parada", disse ele, lembrando que Dilma já descansou ontem e que hoje fará o mesmo. Porém, Múcio avisou que amanhã os integrantes do governo "terão um dia duro" para resolver a questão do pré-sal.

Sobre o fato de ser um dos integrantes da tropa de choque que está sendo montada pelo governo para proteger a ministra Dilma e evitar os ataques diretos a ela, Múcio brincou: "Não é tropa de choque em defesa. É o batalhão que vai ajudar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.