MST tenta cobrar pedágio de juiz em rodovia federal

Um grupo de militantes do Movimento dos Sem-Terra (MST) tentou cobrar pedágio do juiz federal Odilon de Oliveira, diretor da Justiça Federal de Campo Grande, hoje, na BR-163, entre Itaquiraí e Eldorado, no Mato Grosso do Sul. O veículo ocupado pelo juiz e pelo procurador da República Ramiro Rosemback da Silva, chegou a ser parado pelo grupo, mas os sem-terra baixaram a corda depois que uma viatura da Polícia Federal, que o acompanhava, acionou a sirene. Os sem-terra, de um acampamento instalado na beira da rodovia, estavam parando os veículos desde o início da manhã. Portando foices e enxadas, eles exigiam o pagamento de valores entre R$ 1,00 e R$ 5,00 por veículo. Alegavam que estavam sem alimentos. Assim que a caminhoneta ocupada pelo juiz passou, os sem-terra voltaram a estender a corda na rodovia. Os policiais federais que acompanhavam o juiz em duas viaturas também seguiram viagem. Oliveira se dirigia ao município de Japorã, para uma audiência com índios kaiowás. Mais adiante, os policiais federais pararam e autuaram o motorista Florentino Benitez, de 34 anos, que transportava 35 índios, a maioria mulheres e crianças, em um caminhão de gado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.