MST se aproxima de posto de vigilância de ruralistas no RS

Um grupo de 300 produtores rurais promete obstruir a marcha que 300 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) fazem de Santana do Livramento a São Gabriel, no zona sul do Rio Grande do Sul. Os fazendeiros montaram um posto de vigilância à margem da BR-290, no território do município de São Gabriel, e anunciaram que se os caminhantes tentaram avançar pela rodovia serão bloqueados. Como os sem-terra se aproximaram e montaram acampamento para passar a noite a apenas 500 metros dos ruralistas, a quarta-feira se anuncia como um dia tenso na região.A marcha dos sem-terra saiu de Santana do Livramento no dia 14 anunciando que andaria cerca de 120 quilômetros pelas estradas até a zona urbana de São Gabriel. Quando chegarem ao destino, os sem-terra prometem fazer uma manifestação pela desapropriação das fazendas de Alfredo Southall, que, somadas, têm 13,7 mil hectares. Nesta terça-feira o grupo se deslocou 17 quilômetros e ficou a 42 quilômetros de seu objetivo. Se voltar a se movimentar nesta quarta-feira, poderá enfrentar a barreira dos ruralistas.Os sem-terra estão contrariados com duas notícias que tiveram nesta semana. As vistorias que o Incra faria nas fazendas de Southall foram suspensas pela Justiça Federal, que considerou que a verificação de produtividade rural está suspensa em municípios que decretaram situação de emergência por causa da estiagem do ano passado, como é o caso de São Gabriel.Ao mesmo tempo, a Aracruz Celulose está negociando a aquisição de parte da propriedade rural de Southall para ampliar sua base florestal no Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.