MST sai de fazenda antes da chegada da Brigada Militar

Nesta terça, 300 soldados cercaram as barracas montadas pelos sem-terra, mas não encontraram ninguém

Elder Ogliari, do Estadão

07 de agosto de 2007 | 19h48

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) desocupou a Fazenda da Palma, em Pedro Osório, na zona sul do Rio Grande do Sul, na noite da última segunda-feira. A decisão de sair foi tomada pelos invasores poucas horas antes da chegada da Brigada Militar para fazer cumprir uma ordem de reintegração de posse dada pela Justiça à proprietária Amélia Eichinique Lopes.    Ao amanhecer desta terça-feira, 7, 300 soldados cercaram as barracas que os sem-terra haviam montado, mas não encontraram ninguém.   Foi a terceira vez neste ano que militantes do MST se instalaram numa área dentro da propriedade rural de 2 mil hectares, produtora de arroz e gado de corte. Nos primeiros dias, a partir de 25 de julho, o grupo entrava de manhã, arava a terra e saia ao entardecer. Desde 2 de agosto também deixava algumas pessoas pernoitando no local, sob tendas de lona preta. As ocupações anteriores ocorreram entre 11 e 13 de abril e entre 27 de abril e 8 de maio.   Mesmo sem conflitos na desocupação, o MST vai manter a pressão sobre a Fazenda da Palma, anunciou uma das lideranças do movimento, Irma Ostrovski. O grupo de invasores voltou para um acampamento montado num assentamento vizinho à propriedade rural. De lá, poderá repetir as incursões diárias para dentro da fazenda. Pela proximidade, também terá facilidades para sair a cada vez que a Brigada Militar se aproximar do local.   "Eles usam a estratégia de se instalar em áreas limítrofes", constata o subcomandante da Brigada Militar, coronel Paulo Mendes, reconhecendo que não há como deixar um batalhão em vigilância permanente na cerca da fazenda enquanto as cidades da região precisam do policiamento.   Na mesma ação desta terça-feira, a Brigada Militar apoiou um trabalho da Polícia Civil, que cumpriu mandado de busca e apreensão de armas de fogo no acampamento dentro do assentamento do MST. Nada foi encontrado.

Tudo o que sabemos sobre:
MSTFazenda da Palma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.