MST reocupa fazenda Papagaio, no agreste pernambucano

Propriedade é uma reivindicação antiga do movimento e no início do ano, depois de longa disputa judicial

Angela Lacerda, de O Estado de S.Paulo,

09 de julho de 2009 | 16h37

Menos de um mês depois de despejados, por força de uma reintegração de posse, da Fazenda Papagaio, no município de São Caetano, no agreste pernambucano, trabalhadores ligados ao MST reocuparam nesta quinta-feira, 9, a área e levantaram barracos de lona.

 

A propriedade é uma reivindicação antiga do movimento e no início do ano, depois de longa disputa judicial, o Incra se imitiu na posse. Sob a alegação de que a terra é produtiva, o antigo dono recorreu à justiça e conseguiu, no dia 11 de junho, em primeira instância, a suspensão da imissão de posse. No dia seguinte, os acampados foram despejados pela Polícia Militar. Na ocasião, o líder estadual do MST, Jaime Amorim, foi detido por resistência, sendo liberado em seguida. Segundo os agricultores, as casas de alvenaria e os barracos e também a lavoura plantada foram destruídos.

 

O chefe da Divisão de Obtenção de Terras do Incra no Estado, Carlos Eduardo Costa Lopes, reclamou que a reintegração foi realizada sem que o órgão fosse notificado da decisão. "Não foi levado em conta que o Incra tinha se imitido na posse da terra", observou. O Incra entrou com recurso, que ainda está tramitando.

 

Integrante da coordenação estadual do MST, Greisson Isidório comandou a reocupação, que ocorreu, segundo ele, sem nenhum contratempo. "As 40 famílias despejadas voltaram a se instalar porque está no seu direito", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
MST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.