MST quer afastar juíza do processo de Eldorado dos Carajás

Os advogados do MST, Luiz Eduardo Greenhalgh e Carlos Guedes do Amaral Júnior, entregaram hoje um mandado de segurança ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) pedindo que a juíza Eva do Amaral Coelho seja afastada do processo que apura a responsabilidade na morte de 19 trabalhadores rurais, em 1996, em Eldorado do Carajás, no Pará. O julgamento está marcado para começar na segunda-feira em Belém.Segundo o STJ, os advogados do MST argumentam que a juíza não pode presidir o júri porque está adotando um tratamento agressivo em relação à acusação e tem recusado reiteradamente os apelos para que se afaste do caso. O relator do mandado no STJ, ministro Jorge Scartezzini, não está em Brasília e a assessoria do tribunal informou que dificilmente a decisão sairá antes de segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.