MST protesta por melhorias de estradas no Paraná

Os cerca de mil integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), que estão desde a manhã de terça-feira acampados em frente à prefeitura de Jardim Alegre, a 380 quilômetros de Curitiba, devem voltar para o Assentamento 8 de Abril somente na quinta. Eles receberam a promessa do prefeito Mauro Oriani (PT) da liberação pela manhã de uma motoniveladora para realizar um trabalho emergencial de melhoria das estradas do assentamento, principal reivindicação dos manifestantes. Pelo acordo fechado entre a prefeitura e os assentados, na sexta devem ser liberados dois caminhões, uma pá carregadeira e um trator-esteira. "Assim que a primeira máquina sair, a gente desce junto", disse um dos manifestantes. Segundo ele, as famílias já receberam promessas anteriormente e elas não foram cumpridas. Agora, só saem com o maquinário. O assentamento fica a cerca de 30 quilômetros da sede do município. O líder do MST na região, Édio Aparecido Calixto, disse que as condições precárias das estradas não permitem que cerca de 600 alunos freqüentem a escola com regularidade. Muitas vezes os ônibus escolares não conseguem trafegar ou, quando o fazem, o deslocamento é demorado e os estudantes perdem parte das aulas. No assentamento funcionam as escolas municipais José Clarimundo Filho e José Marti. Além disso, eles precisam das estradas para o escoamento da produção. "Estamos no forte da safra, mas o caminhão carregado só consegue sair se for puxado por trator-esteira", acentuou. De acordo com os sem-terra, as reivindicações foram feitas ainda no ano passado. Houve uma promessa da prefeitura, mas não foi cumprida. Agora o prefeito garantiu a melhoria emergencial, aguardando que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) repasse o dinheiro para a readequação total. O Incra informou que a infra-estrutura em assentamentos é realizada por meio de convênio, dependendo de um projeto a ser apresentado pela prefeitura. Os sem-terra montaram barracas no entorno da prefeitura, mas durante esta quarta, eles também ocuparam parte das instalações do prédio, sem interromper o trabalho dos funcionários. Nesta manhã, o prefeito foi até o assentamento para analisar as condições das estradas. O Assentamento 8 de Abril foi criado após a desapropriação da Fazenda 7 Mil, invadida em 8 de abril de 1997 por cerca de 800 famílias do MST. Na área de aproximadamente 13 mil hectares, foram assentadas 562 famílias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.