MST pode deixar fazenda do senador Eunício amanhã

A expectativa da administração da Fazenda Santa Mônica é a de que nesta segunda-feira, 1, pela manhã o grupo do Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais Sem Terra (MST) deixe a agropecuária, que foi invadida neste domingo, 31. As terras, localizadas em Goiás, são de propriedade do senador Eunício Oliveira (PMDB), candidato ao governo do Ceará.

CÉLIA FROUFE, Estadão Conteúdo

31 de agosto de 2014 | 18h37

Há essa perspectiva porque o diretor administrativo da agropecuária, Ricardo Augusto, obteve uma decisão de "interdito proibitório". Essa ação judicial tem como objetivo evitar algum tipo de ameaça de posse e foi ajuizada porque a movimentação do MST pela região já havia sido percebida no último mês. A decisão, conforme a administração da Santa Mônica, foi emitida pela comarca de Corumbá de Goiás pelo juiz Levine Raja Gabaglia Artiaga.

Nesse pedido de interdito proibitório, já há a solicitação de reintegração de posse. Essa ação só pode acontecer se for comprovada a invasão, o que deve ser verificado amanhã. Segundo o MST, há três mil famílias no local. A agropecuária foi escolhida para a invasão porque o MST diz que as terras são improdutivas. Já para Augusto, a ação surpreendeu porque a fazenda é produtiva e está localizada em uma região sem conflitos agrários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.