MST pede comida no centro de cidade de GO

Depois de dois dias ocupando a estrada que dá acesso à sede da Mineradora Serra Grande, em Crixás, a 330 quilômetros de Goiânia, um grupo de quase mil pessoas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) decidiu transferir o bloqueio para o centro da cidade.Cercados pela Polícia Militar e sem ter suas reivindicações atendidas, os manifestantes decidiram sair da porta da mineradora e ocuparam o centro da cidade. "Vamos torcer para que o governo se sensibilize e providencie comida para essa gente, porque senão tudo pode acontecer", afirmou o coordenador do movimento, José Valdir Miesnerovicz. "Podem ocorrer novos saques em Goiás."O MST reivindica comida para as mais de mil famílias que vivem em condições subumanas no Acampamento Dom Roriz, do MST. "Estamos famintos. Nunca recebemos uma cesta básica nem do Incra nem do governo", disse Ilmar Morais do Couto, da coordenação estadual do movimento.Miesnerovicz disse que a ocupação do centro de Crixás vai continuar até que o MST seja atendido. "Até agora, a única resposta que tivemos do governo foi a presença da polícia, que não mata a fome de ninguém", afirmou Miesnerovicz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.