MST pede ao governo renegociação de dívidas de assentados

Representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) levaram nesta terça-feira ao ministério da Fazenda pedido para renegociação das dívidas de pequenos agricultores assentados. Eles foram recebidos por Gilson Bittencourt, assessor especial do ministro da Fazenda, Guido Mantega.De acordo com uma das coordenadores nacionais do MST, Marina dos Santos, a resposta do ministério foi para que os trabalhadores esperassem o pacote com medidas de apoio ao setor agrícola que deve ser divulgado na próxima quinta-feira.A reunião no ministério da Fazenda só aconteceu após um grupo de aproximadamente 300 integrantes do MST terem ocupado, nesta manhã, parte do saguão do prédio onde fica a direção-geral do Banco do Brasil, em Brasília. De acordo com informações da assessoria de imprensa do BB, os militantes do MST chegaram ao banco no início da manhã e fizeram pressão para entrar no prédio. O banco resolveu facultar o acesso a uma parte do saguão que fica no andar térreo do prédio. O próprio banco intermediou o encontro de representantes do MST com o Ministério da Fazenda. Segundo a assessoria do ministério da Fazenda, o ministro Guido Mantega não pode receber os representantes do movimento porque já tinha uma reunião acertada com o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.Além da renegociação de dívidas agrícolas, o MST também reivindica junto ao governo o assentamento de 230 mil famílias cadastradas no Incra e que estão em acampamentos espalhados pelo País, além da revisão do índice de produtividade das fazendas, que define se uma área será desapropriada ou não pelo governo. O objetivo dessa última proposta é aumentar o leque de terras que podem ser desapropriadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.