MST, ong e sindicalistas ocupam pedágios no Paraná

Pelo menos oito praças de pedágio do Paraná foram ocupadas hoje por integrantes do MST, da organização civil Terra de Direitos e sindicalistas. O objetivo dos manifestantes é aprovar um projeto que prevê encampação do pedágio pelo governo e forçar proibição da plantação e comercialização de produtos transgênicos no Estado, além da reforma agrária. Dezenas de caminhoneiros se uniram ao protesto dirigindo-se a Curitiba, onde os caminhões ocuparam as ruas do Centro Cívico.As concessionárias Viapar e Rodonorte disseram que em algumas praças todas as comunicações foram destruídas e houve quebra de equipamentos. Além disso, acusaram integrantes do MST de estarem cobrando pedágio dos carros. Mas, segundo os manifestantes, a passagem foi liberada na maioria dos casos. Na praça de Cascavel, a assessoria da concessionária rodovia das Cataratas denunciou que alguns funcionários estavam sendo mantidos em cárcere privado na área administrativa. Os caminhoneiros acreditam que com encampação do pedágio será possível baixar em até 61% o valor cobrado hoje, sem prejuízo para a conservação das estradas. O projeto deve ser aprovado nesta quarta-feira, já que o governo, autor da proposta, tem maioria na casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.