MST ocupa três áreas no Sul

Integrantes estão em terrenos do governo do Estado do Rio Grande do Sul e exigem confirmação de que serão destinados para assentamento de famílias

Elder Ogliari, de O Estado de S.Paulo

26 de março de 2012 | 10h20

PORTO ALEGRE - O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) anunciou ter invadido três áreas do governo do Estado em diferentes regiões do Rio Grande do Sul, nesta segunda-feira, 26.

 

Divididos em grupos, os sem-terra ocuparam terrenos da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro) em Eldorado do Sul, de uma antiga colônia penal agrícola, em Charqueadas, e da antiga Febem, em Taquari. O MST quer que o governo do Estado confirme a destinação das áreas para o assentamento de 36 famílias e também pede o assentamento imediato de outras mil famílias acampadas no Estado.

 

Assassinatos. Nesse sábado, 24, três integrantes do Movimento para Libertação dos Sem Terra (MLST) foram assassinados no no Triângulo Mineiro. Uma das hipóteses analisadas pela Polícia Civil é de que o crime tenha ocorrido por causa de uma briga por poder dentro do próprio grupo.

Tudo o que sabemos sobre:
mstsem terrars

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.