MST ocupa sede do Incra em Recife por 8 horas

Cerca de dois mil trabalhadores rurais sem terra ligados ao MST ocuparam por oito horas, nesta quarta-feira, a sede do Incra em Recife. Eles chegaram com fogões, colchões e mantimentos para uma permanência por tempo indeterminado, mas decidiram deixar o local às 17 horas depois de negociar uma pauta de reivindicações com o superintendente regional do órgão, João Farias.Eles conseguiram garantia de alimentação para os acampamentos, com a promessa de distribuição de 7,2 mil cestas básicas já na próxima semana; manutenção de uma equipe de técnicos agrícolas que dão assistência técnica aos assentamentos; e vistoria de 61 áreas até o dia seis de julho.Um assentado é morto, e outro, feridoUm assentado foi morto e outro foi ferido a bala, no abdome, nesta quarta-feira pela manhã no município de Rio Formoso, na zona da mata sul pernambucana. Eles são do Assentamento Mato Grosso, ligado à Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Pernambuco (Fetape).De acordo com a Fetape, eles pegaram carona em um veículo de transporte escolar e, quando já se encontravam na área do assentamento, dois homens encapuzados e armados, em uma moto, pararam o veículo e mandaram todos descerem.Em seguida, Givanildo José da Silva Lima foi executado por um deles. José Lopes tentou desarmar o agressor, quando o outro encapuzado o atingiu com um tiro. Ele está internado no Hospital Getúlio Vargas, no Recife, em estado grave.A Fetape desconhece os motivos do assassinato. Este foi o terceiro assentado rural morto nos últimos 40 dias na zona da mata sul. Os outros dois eram ligados ao MST. Um deles, José Cândido da Silva, foi morto por denunciar desmatamento irregular da reserva ecológica pertencente ao assentamento Mascatinho, em Tamandaré.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.