MST ocupa sede do Incra em Cuiabá-MT

Dentro da programação do "Abril Vermelho", cerca de 200 militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) de Mato Grosso ocuparam na manhã de hoje a sede da Superintendência Regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Cuiabá.

FÁTIMA LESSA, Agência Estado

27 de abril de 2010 | 18h13

Eles cobram celeridade no processos de distribuição de terras e exigem assistência em assentamento, além de demarcação das terras já liberadas. "Tem mais de quatro anos que ganhamos posse da terra, mas não foi ninguém lá para demarcar os lotes. Estamos acampados ainda quando já podíamos estar trabalhando", afirmou Edilson Almeida, um dos membros da coordenação estadual do movimento.

No início do acampamento, 12 de abril, os sem-terra protocolaram sua pauta de reivindicações. Segundo eles, atualmente existem 2.500 famílias acampadas em todo o Estado e centenas em áreas de pré-assentamento esperando há mais de dois anos o parcelamento da área.

O superintendente adjunto do Incra, Waldir Barranco, disse que a pauta de reivindicações já foi recebida. Ele acredita que a ocupação deve terminar o mais rápido possível. Quanto à demora na demarcação dos lotes, ele disse que isso se deve a questões burocráticas, mas "que o processo está em andamento". Militantes prometem que sairão do local somente depois de audiência com superintendência nacional do órgão.

Tudo o que sabemos sobre:
MSTIncraMTinvasão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.