MST ocupa fazenda exigida por outro grupo de sem-terra

Reivindicada pela Organização da Luta no Campo (OLC), a Fazenda Varame, de 450 hectares, no município de Passira, no agreste, foi ocupada hoje pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST). O processo de desapropriação da área está em Brasília aguardando o decreto presidencial, de acordo com a superintendente regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Maria de Oliveira. A ocupação foi anunciada pelo MST como parte da programação do movimento para comemorar o Grito dos Excluídos, no feriado de 7 de setembro, e poderá acirrar uma disputa entre movimentos, além de ir de encontro à Medida Provisória que inviabiliza desapropriação de terra ocupada.Integrante da direção regional do MST, Edílson Barbosa disse desconhecer que a área estava na pauta da OLC. Informou que o MST tinha um acampamento na beira da estrada, nas proximidades da fazenda há quase dois anos e a ocupou para apressar a desapropriação. Para o líder da OLC, João Santos, ações como esta do MST "estão virando moda". Outras ocupações de terra poderão ser promovidas pelo MST. Hoje também foram iniciadas caminhadas e atos públicos em alguns municípios do interior, em conjunto com a Comissão Pastoral da Terra (CPT). O Grito dos Excluídos, instituído há dez anos, reúne igreja, movimentos sociais, sindicatos e associações civis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.