MST ocupa duas fazendas em Pernambuco

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) ocuparam mais duas áreas, nesta quarta-feira, em Pernambuco: a Fazenda Barros, em Feira Nova, no agreste, e a Fazenda Carcará, em Inajá, no sertão.São 30 ocupações desde cinco de março, quando foi aberta a temporada de luta batizada de "2006 Vermelho" pelo líder regional do movimento, Jaime Amorim. Tumulto, revolta e bloqueio da estrada PE-50 marcaram a invasão da Fazenda Barros, em Feira Nova, no agreste, a 77 quilômetros do Recife. Os sem-terra denunciaram que foram ameaçados de morte pelo proprietário, que teria chegado armado e acompanhado de quatro capangas logo depois da ocupação, realizada por volta das seis horas. De acordo com Josias Alves, coordenador do MST na área, os sem-terra teriam sido avisados de que se permanecessem no local, seriam retirados à bala durante a noite.Indignados porque a Polícia Militar se limitou a retirar da área o suposto proprietário e o grupo sem tomar providências em relação à denúncia de violência, eles bloquearam a PE-50. A rodovia só foi liberada às 11 horas, depois que o promotor agrário estadual, Édson Guerra, negociou a permanência da PM para fazer a segurança do acampamento. De acordo com a PM, não havia capangas - os quatro homens eram do serviço de inteligência da Polícia Militar - e o proprietário não estava armado. Édson Guerra prometeu investigar a suposta existência de armas e poderá solicitar abertura de inquérito policial caso a denúncia seja procedente.FogoOs integrantes do MST quebraram a cerca da propriedade, que afirmam ser improdutiva, e atearam fogo a uma área de capim ao entrarem na fazenda. O fogo não se espalhou. O movimento afirma que 300 famílias participaram da invasão. A PM diz que foram 60.Cessado o tumulto, eles levantaram barracos e iniciaram a instalação de uma "escola itinerante", sob uma lona, para ensinar as crianças acampadas. Por enquanto, os professores deste tipo de escola - são três em Pernambuco, nenhuma ainda oficializada - são voluntários. O MST busca a regularização da escola itinerante por meio de uma parceria com a Secretaria estadual de Educação. O projeto já foi implantado no Rio Grande do Sul. A ocupação da Fazenda Carcará ocorreu sem registro de conflitos, com 60 famílias sem sem-terra (número do MST).Até o dia 17, aniversário de 10 anos do massacre de Eldorado dos Carajás, quando 19 agricultores foram executados, no Pará, pelo menos mais seis invasões devem ocorrer no Estado, de acordo com a direção do movimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.