MST monta acampamento em área municipal

Cerca de 30 famílias ocupam uma faixa de quatro hectares ao longo de rodovia em Paraguaçu Paulista

José Maria Tomazela, do Estadão,

05 de agosto de 2007 | 20h33

Integrantes do Movimento dos Sem-Terra (MST) iniciaram a construção de barracos neste domingo, 5, em uma área municipal de Paraguaçu Paulista, no oeste do Estado, a 510 km de São Paulo. Cerca de 30 famílias ocuparam uma faixa de quatro hectares, ao longo da rodovia vicinal que liga a cidade ao distrito de Cardoso de Almeida.  De acordo com o líder Luciano de Lima, está prevista a chegada de outros grupos de sem-terra durante a semana. O local vai abrigar o acampamento Che Guevara, do MST. "Será uma base para as ações que pretendemos fazer nesta região", disse. O líder pretende negociar com a prefeitura a permanência no local até o assentamento das famílias.  O acampamento está sendo erguido entre o acostamento da vicinal e a divisa da fazenda Pouso Alegre, uma das áreas visadas pelos sem-terra. Segundo Lima, em Paraguaçu Paulista e municípios vizinhos o Instituto Nacional de Colonização Agrária (Incra) vistoriou dezenas de fazendas e 9 já foram consideradas improdutivas. Por essa razão, o líder está empenhado em arregimentar sem-terra e formar acampamentos.  "Já temos o acampamento Estrela de Davi no município de João Ramalho e, em parceria com o movimento dos sem-teto, dois acampamentos em Cândido Mota", relata. O objetivo do MST, segundo ele, é criar mais uma base regional no oeste, a exemplo da existente no Pontal do Paranapanema. "Estamos cobrando do Incra a vistoria de terras que, a nosso ver, são improdutivas."

Tudo o que sabemos sobre:
MST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.