MST invade segunda fazenda em Araçatuba

As 400 famílias ligadas ao Movimento dos Sem-Terra (MST) que ocupavam desde domingo a Fazenda Rosa Branca, em Araçatuba, a 540 quilômetros de São Paulo, começaram a deixar o local nesta terça-feira e iniciaram a ocupação de uma propriedade vizinha, a Fazenda Araçá.Na noite desta segunda-feira, uma liminar da Justiça concedeu reintegração de posse ao proprietário da Rosa Branca, Domingo Otávio Page. De acordo com Lourival Plácido de Paula, da direção estadual do MST, ao contrário da Fazenda Rosa Branca, a Araçá, que tem 1.255 hectares, já passou por vistoria conjunta do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e da Fundação Itesp (Instituto de Terras do Estado), foi considerada improdutiva e até já teve decretada sua desapropriação para fins de reforma agrária.Os proprietários recorreram e o processo ainda tramita na Justiça. Esta é a primeira ocupação do MST em Araçatuba, um dos principais centros de agronegócios do Estado de São Paulo e a quarta maior cidade vendedora de gado de corte do País. Segundo os coordenadores do movimento no acampamento, Valdecir Inácio dos Santos e Cristiane da Silva Roza Romera, a intenção do MST é ?transformar a região de Araçatuba no próximo Pontal do Paranapanema?.Em reação à chegada do MST a Araçatuba, o Sindicato Rural da Alta Noroeste (Siran) anunciou que vai convocar os fazendeiros para discutir medidas contra uma possível onda de invasões de propriedades no município.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.