MST invade fazenda que pertenceu a ex-presidente

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) ocuparam a Fazenda Sítio, no município de Bocaiúva, norte de Minas Gerais. A propriedade, de 2,2 mil hectares, que pertenceu ao ex-vice-presidente da República José Maria Alkmin (1901-1974), foi invadida no domingo por cerca de 100 famílias sem-terra. A Superintendência do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) informou que a fazenda ainda não foi alvo de vistoria.

EDUARDO KATTAH, Agência Estado

18 Maio 2010 | 17h43

O MST alegou que o imóvel é improdutivo e se encontra abandonado. "As famílias sem-terra denunciam que o latifúndio está improdutivo, não cumpre a sua função social e deve ser destinado à reforma agrária, como determina a Constituição", afirmou o movimento em um comunicado, no qual reivindica a desapropriação imediata da propriedade. Os sem terra cobram também o assentamento de 3 mil famílias acampadas no Estado, assistência técnica e liberação de crédito agrícola para os assentados.

A fazenda pertence atualmente a Luciano Fonseca Alkmin - filho do ex-vice-presidente -, que hoje ajuizou um pedido de reintegração de posse. Filho de Luciano Fonseca, o jornalista Luciano Ferreira Alkmin disse que o imóvel é produtivo e a família investe na criação de gado.

A fazenda é tombada pelo Patrimônio Histórico Municipal de Bocaiúva. O secretário de Cultura do município, Anderson Clayton, esteve no local ontem e pediu aos invasores que os bens históricos sejam preservados.

Mais conteúdo sobre:
MST invasão fazenda José Maria Alkmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.