MST invade fazenda pela segunda vez em 12 dias

Grupo exige que o Incra faça assentamento na fazenda, que tem sete mil hectares

Sandro Villar, de O Estado de S.Paulo

07 de novembro de 2008 | 20h00

Cerca de 80 militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) invadiram nesta sexta-feira, 7,  a Fazenda Santo André, localizada no município de Martinópolis, no interior paulista. Eles chegaram pouco antes das 10 horas e, até agora, ergueram 42 barracos de lona e plástico. O grupo exige que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) faça assentamento na fazenda, que tem sete mil hectares. É a segunda invasão da fazenda em apenas 12 dias.  "Na segunda-feira passada, eles estavam aqui e foram embora depois que o oficial de Justiça mostrou o documento de reintegração de posse. Voltaram a invadir quatro dias depois da primeira invasão", observou um sargento da Polícia Militar, que pediu anonimato. Quem também pediu anonimato foi a proprietária da fazenda, segundo o policial. "Ela está com medo, pediu para não divulgar seu nome", disse, acrescentando que a dona é viúva. Assim como ocorreu na primeira invasão, também desta vez não houve tumulto e depredações.  Os ocupantes fazem parte de um grupo dissidente ligado à direção nacional do MST, segundo José Rainha Júnior, o principal líder do movimento no Pontal do Paranapanema. Numa rápida entrevista ao Estado, ele disse que não conhece os sem-terra que estão na Fazenda Santo André. A propriedade estaria na lista das terras que serão compradas pelo Incra para fins de reforma agrária no Estado de São Paulo.  "Até quinta-feira da semana passada, o Incra ainda não tinha avaliado a fazenda", informou, em Presidente Prudente, um especialista no assunto, que não quer aparecer. Ele dá como certa a compra: "O Incra tem interesse nessa fazenda", completou. Para confirmar o interesse, tentamos entrevistar o superintendente regional do Incra, Raimundo Pires da Silva, em São Paulo. "Ele nem apareceu no Incra hoje. Acho que está viajando", afirmou a secretária Francielli Silva. Já o chefe da Divisão de Obtenção de Imóveis, Sinésio Sapucaí, estava reunido com assessores.

Tudo o que sabemos sobre:
MST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.