MST invade fazenda no Rio Grande do Sul pela sétima vez

Cerca de 200 sem-terra invadiram a Fazenda Coqueiros, em Coqueiros do Sul, no noroeste do Rio Grande do Sul, nesta quarta-feira. O grupo chegou ao amanhecer, montou barracas e começou a preparar a terra para plantar milho, mandioca e feijão. Desde abril de 2004 é a sétima vez que militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) ocupam a propriedade rural de sete mil hectares pertencente aos irmãos Felix e Vera Guerra.Como há uma decisão que proíbe novas invasões, a Brigada Militar não precisa esperar que a Justiça conceda reintegração de posse aos proprietários para fazer a desocupação. Um batalhão de Passo Fundo já foi enviado ao local, mas a operação de desocupação não está confirmada para esta quinta-feira.Além das sete invasões com montagem de acampamento, os sem-terra entraram na fazenda Coqueiros diversas vezes nos últimos dois anos e meio. O grupo é acusado pelos proprietários de diversos atos de sabotagem às máquinas e às colheitas da fazenda. No mais recente, dia 27 de outubro, teria queimado dois caminhões carregados de sementes e adubo, ação que é negada pela coordenação estadual do movimento. Outros 350 sem-terra que estão acampados há dez dias às margens da BR-290, na região central do Estado, prometem retomar nesta quinta-feira a marcha em direção à Fazenda Dragão, localizada em Eldorado do Sul. O grupo saiu de Arroio dos Ratos no dia 14, mas ficou parado por dez dias num trevo da rodovia, a dez quilômetros do objetivo. Quando chegarem à cerca da propriedade rural de 760 hectares, os sem-terra prometem fazer uma manifestação pela reforma agrária. O MST quer a desapropriação das fazendas Coqueiros, em Coqueiros do Sul; Southall, em São Gabriel; Palermo, em São Borja; e Dragão, em Eldorado do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.