MST invade fazenda na Bahia que seria fachada para tráfico

Sem-terra reivindicam a área, de 200 hectares, por causa das atividades ilegais que eram praticadas ali

Tiago Décimo, do Estadão,

27 de agosto de 2007 | 10h59

Cerca de 50 famílias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) invadiram no domingo, 26, a Fazenda Mariad, em Juazeiro (BA). A área, sede da empresa Mariad, de exportação de frutas, está sem administrador desde o fim de semana anterior, quando o proprietário, o colombiano Gustavo Duran Bautista, foi preso no Uruguai com 485 quilos de cocaína. A gerente da fazenda, Ana Lúcia de Araújo Lacerda, também foi presa.   Segundo a Polícia Federal, a empresa funcionava como fachada para um esquema de tráfico internacional de drogas - cocaína era colocada em fundos falsos das caixas de frutas que eram exportadas para a Europa.Momentos antes da invasão, que ocorreu durante a madrugada, a fazenda foi assaltada por cerca de dez homens encapuzados, que chegaram ao local em um caminhão e levaram insumos agrícolas diversos. Os cerca de 2,2 mil trabalhadores da empresa aguardam a nomeação, entre esta segunda e terça-feira, de um interventor para administrar a fazenda, mas os integrantes do MST reivindicam para si a área, de 200 hectares, por causa das atividades ilegais que eram praticadas no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.