MST invade fazenda de eucaliptos da Suzano

Cerca de 200 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) invadiram a Fazenda Santa Rita, em Itapetininga, a 160 quilômetros de São Paulo. A área pertence à Companhia Suzano de Papel e Celulose e seus 12,8 mil hectares estão cultivados com eucaliptos. Segundo o administrador Luis Ronique, os sem-terra arrebentaram os portões e cortaram cercas para invadir a propriedade. Quando já estavam no interior da fazenda, derrubaram dezenas de eucaliptos para usar a madeira na confecção de barracos. A fazenda invadida no último domingo, abastece as unidades de papel e celulose da Suzano. Lideranças do movimento alegaram que a ocupação tem como objetivo pressionar a Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) a desapropriar fazendas que já foram vistoriadas na região. A propriedade da Suzano é qualificada como "latifúndio improdutivo" pelo MST, pois não produz alimentos. "Eucalipto não mata a fome de ninguém", disse o líder Adaílton Silva. A área, no entanto, é tida como produtiva pelo Incra. O administrador registrou a invasão e os danos no 2º. Distrito Policial de Itapetininga. Advogados da empresa entrariam ainda ontem com pedido de reintegração de posse no Fórum local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.