MST inicia série de atos comemorativos em Minas

A direção estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Minas Gerais anunciou nesta segunda-feira que deu início no Estado aos atos que vão marcar o Dia Internacional da Luta pela Terra, no próximo dia 17. Uma marcha com 500 sem-terra saiu no sábado da cidade de Frei Inocêncio, e outra, com 400 trabalhadores rurais, sairá nesta quarta-feira da cidade de Formiga, no centro-oeste mineiro.As duas colunas se encontrarão em Belo Horizonte, onde, no dia 17, será realizado um ato em memória dos seis anos do ?massacre de Eldorado dos Carajás?. O coordenador estadual do MST em Minas, Mauro Lemes, disse que não há previsão de novas ocupações de terra durante as marchas. ?Não estamos com esse planejamento?, afirmou. ?Trata-se de atos pacíficos e reivindicatórios. Queremos estimular a sociedade a participar das lutas sociais e promover um embate ideológico contra o latifúndio e o sistema econômico vigente.?Lemes atribuiu à coordenação do MST em Brasília a invasão da Fazenda Sururina, no Distrito de Guarapuava, em Unaí, noroeste de Minas, ocupada na manhã deste domingo por cerca de 80 integrantes do MST. Na ocupação, o advogado Nazareno Alves Sobrinho, dono da propriedade, foi agredido pelos sem-terra e um dos invasores foi ferido com um tiro no peito.A guarnição da Polícia Militar de Minas Gerais, que estava na entrada da fazenda, deixou nesta segunda-feira o local. De acordo com o capitão Elias Andrade de Oliveira, assessor de comunicação do 28º Batalhão da PM de Unaí, a situação na propriedade é considerada tranqüila. ?Estamos aguardando a decisão da Justiça?, disse.O policial não soube, porém, informar se os sem-terra estão com armas no acampamento. Segundo a própria PM, os integrantes do MST atiraram na sede da fazenda, durante a ocupação. Os líderes da invasão disseram que foram recebidos à bala pelo proprietário do imóvel. Sobrinho informou que vai entrar com pedido de reintegração de posse. O sem-terra Carlos José Leite, de 31 anos, que recebeu um tiro no peito, continuava internado nesta segunda-feira, no Hospital de Formosa (GO), fora de perigo. A PM não havia identificado o autor do disparo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.