MST inicia marcha rumo a Salvador para pressionar governo

Cerca de 5 mil integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) da Bahia, iniciaram, na manhã desta segunda-feira, uma marcha entre Feira de Santana, a 110 quilômetros de Salvador, e a capital baiana. Eles vão percorrer o trajeto pela BR-324 e começaram pelo trecho urbano entre o Feira Tênis Clube, onde os manifestantes estavam acampados no fim de semana, e o Parque de Exposições de Feira de Santana, onde eles acamparam nesta tarde e passarão a noite.Segundo o coordenador do MST no Estado, Márcio Matos, a caminhada tem como principais objetivos pressionar os governos estadual e federal para dar mais agilidade aos processos de reforma agrária e lutar contra a impunidade no campo. "Também fizemos uma ata de reivindicações que enviamos ao governo do Estado, listando algumas ações que consideramos emergenciais", afirma. Entre os tópicos, estão a sugestão de criação de um programa para liberação de terras devolutas, o pedido de estabelecimento de uma parceria dos governos estadual e federal para que sejam realizadas com mais rapidez desapropriações de terras improdutivas, além de melhorias nos sistemas de saúde e educação no Estado. "Falta uma proposta concreta para resolver a situação dos sem-terra na Bahia", argumenta o coordenador. "Passados 100 dias de governo do PT, nenhuma sugestão foi apresentada para debate."A expectativa dos integrantes é chegar a Salvador no próximo dia 16, um dia antes do aniversário de 11 anos do episódio conhecido como Massacre de Eldorado dos Carajás, ocorrido no Pará, quando 19 trabalhadores rurais morreram em conflito com a polícia. Na data, será realizada, em capitais de todo o País, uma mobilização nacional do movimento - na capital baiana, o MST planeja ocupar 15 áreas urbanas, tanto públicas quanto privadas, segundo a coordenação do movimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.