MST Independente estreia com três invasões no Pontal

Grupo proveniente do MST da Base, de José Rainha Júnior, mobilizou cerca de 300 militantes

José Maria Tomazela, de O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2012 | 18h48

SOROCABA - Um novo grupo de luta pela terra estreou no Estado de São Paulo com a invasão de três fazendas na região do Pontal do Paranapanema, extremo oeste do Estado, no final de semana. O MST Independente, mais uma dissidência do Movimento dos Sem-Terra (MST), mobilizou cerca de 300 militantes para invadir as fazendas São Pedro e Almeida Prado, no município de Santo Antonio de Aracanguá, no sábado, e Nossa Senhora de Lurdes, em Junqueirópolis, no domingo. "São nossas primeiras ocupações depois que nos desligamos do grupo do José Rainha", disse o líder Wesley Mauch, que já foi um dos seguidores do ex-líder do MST. Rainha está preso desde junho do ano passado, acusado de desviar verbas da reforma agrária.

 

De acordo com Mauch, o novo grupo pretende tomar pelo menos mais duas fazendas esta semana para cobrar a retomada dos assentamentos na região. Uma das áreas invadidas, segundo ele, a fazenda São Pedro, foi desapropriada em 2002, ainda na gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, mas não se tornou assentamento. "A fazenda mudou de nome e continua sob a posse do fazendeiro." O foco inicial do grupo será a ocupação de fazendas já declaradas improdutivas ou devolutas e que, por morosidade do governo ou da justiça, não foram destinadas à reforma agrária, segundo Mauch. "Nosso grupo tem seis acampamentos na região e as famílias estão em beira de estrada ou em terras cedidas, enfrentando a perseguição dos latifundiários. A luta é para que a lei seja cumprida", disse.

 

Quinta invasão. No domingo, em sequência ao chamado 'janeiro quente', o MST da Base invadiu a fazenda Timboré, em Euclides da Cunha Paulista, no Pontal do Paranapanema. Foi a quinta área invadida este mês pelo grupo dissidente do MST - duas propriedades já foram desocupadas por determinação da justiça. Os sem-terra cobram novos assentamentos na região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.