MST festeja 6 meses de invasão e expulsa produtor

Para "comemorar" seis meses da invasão do sítio Santa Marina, do produtor Antonio Aversa Neto, em Pederneiras, a 340 quilômetros de São Paulo, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) bloquearam com cercas o único acesso à propriedade, impedindo a passagem do dono. Ele, que mora na cidade, foi ao sítio e não conseguiu entrar. O bloqueio afetou também a família do caseiro que mora no local.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agencia Estado

04 de fevereiro de 2010 | 18h24

Desde a invasão, o proprietário espera que a Justiça julgue um pedido de reintegração de posse para retirar os invasores da pequena propriedade de 31 hectares, adquirida há mais de 20 anos. Aversa Neto diz que seu único "crime" é estar encravado no antigo horto florestal de Pederneiras, desapropriado pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e transformado em assentamento.

O horto estava invadido e a área foi insuficiente para assentar todas as famílias. As que ficaram sem lote, passaram a cerca e entraram no Santa Marina.

Neto tinha 98 cabeças de gado, tirava leite e produzia queijo. Após a invasão, no início de agosto, vendeu os animais às pressas e ficou só com 20 vacas. A Justiça estadual mandou despejar os invasores, mas antes que a ordem fosse cumprida, o Incra conseguiu transferir o processo para a Justiça federal. O juiz Eraldo Garcia Vitta, do Fórum Federal de Bauru, não suspendeu a liminar e ainda não julgou o processo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.