MST fecha estrada por 10 horas no Paraná para exigir terras

Cerca de 100 famílias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) fizeram um protesto hoje fechando por cerca de 10 horas a PR-662, entre os municípios de Foz do Jordão e Reserva do Iguaçu, a 350 quilômetros de Curitiba, no sudoeste do Paraná. Acampados próximo à Fazenda Trombini, eles exigem a desapropriação da área. A Polícia Militar conseguiu desmobilizá-los nesta tarde, quando havia um grande congestionamento no local, prometendo intermediar as negociações com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).O superintendente do Incra no Paraná, Celso Lisboa de Lacerda, disse que esse protesto deve-se à lentidão do processo de adquirir terras para a reforma agrária. Mas garantiu que este ano já foram assentadas mais de mil famílias e que até o fim do ano será cumprida a promessa de três mil. A Fazenda Trombini estava entre as que poderiam ser desapropriadas, mas no ano passado um grupo invadiu uma parte e houve confronto. O proprietário conseguiu reintegração de posse, alegando esbulho possessório. Por isso, o processo de desapropriação foi paralisado. ReintegraçãoNo início da madrugada de sábado, um grupo com aproximadamente 30 famílias invadiu mais uma parte da Fazenda Araupel, em Quedas do Iguaçu, no sudoeste paranaense. O advogado da empresa, Paulo Macarini, deve protocolar amanhã pedido de reintegração de posse. O grupo de sem-terra declara-se independente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.