MST fecha a Ponte da Amizade por 40 minutos

Aproximadamente mil integrantes do MST e de outros movimentos sociais fecharam nesta tarde, por cerca de 40 minutos, o tráfego na Ponte da Amizade, que une o Brasil ao Paraguai, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Com este ato, eles se integraram às manifestações pelo Dia Internacional de Luta pela Terra. O protesto começou pela manhã, com uma celebração ecumênica no centro de Foz do Iguaçu, seguido de uma caminhada pelas principais avenidas. Às 15 horas, eles se concentraram no centro da Ponte da Amizade, onde vários dirigentes de entidades fizeram discursos. Os integrantes do Movimento Campesino Paraguayo (MCP), que eram esperados, foram impedidos de entrar na ponte pela polícia paraguaia. Segundo o representante do MST, Bernardino Camilo da Silva, o ato teve como objetivo pedir a condenação dos responsáveis pela morte de 19 sem-terra, há seis anos, em Eldorado dos Carajás, protestar contra a formalização da Área de Livre Comércio das Américas (Alca) e em solidariedade ao povo palestino. A manifestação foi pacífica e a Polícia Militar apenas acompanhou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.