MST faz nova ocupação em Pernambuco

O MST-PE realizou hoje de manhã sua 13ª ocupação de terra no estado neste ano. As invasões, que começaram há 10 dias, marcam o Dia Internacional de Luta pela Reforma Agrária , comemorado dia 17, aniversário do massacre de Carajás. Até lá, o movimento prevê um total de cerca de 20 ocupações. Ontem foi na fazenda Gameleira, de 4 mil hectares, com a participação de 350 famílias, de acordo com o MST.Dentro das ações programadas para o Dia de Luta, o movimento destaca a caminhada que os sem-terra irão fazer saindo no dia 14 de Escada, na Zona da Mata, até Recife, num percurso de 55 quilômetros. De acordo com a assessoria de imprensa do MST, as ocupações também têm por objetivo o plantio de milho e de feijão, já que tem chovido no agreste e no sertão. ?Quem não tem terra, usa a dos outros?, diz a assessoria. Na avaliação dos sem-terra, todas as áreas invadidas até o momento seriam improdutivas.À tarde o coordenador regional do movimento, Jaime Amorim, participou de uma reunião na Secretaria Estadual de Defesa Social, com o ouvidor agrário nacional, representantes do Ministério Público, Incra e Comissão Pastoral da Terra para discutir soluções para conflitos de terra na Zona da Mata Norte. De acordo com Amorim, a situação está tensa nas fazendas Prado, em Araçoiaba, Bonito em Condado e Engenho Aliança no município de Aliança. Nesses locais, segundo eles, os acampados tem sido alvo de pressão dos proprietários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.