MST e servidores querem audiência com FHC

O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) protocolou no Palácio do Planalto um pedido de audiência com o presidente Fernando Henrique Cardoso para discutir a questão agrária no País. Cerca de 400 sem-terra seguiram em passeata do acampamento montado em frente ao ginásio Nilson Neves e se juntaram, na Praça dos Três Poderes, com os servidores federais em greve desde o dia 22 de agosto. O Comando Nacional de Greve dos Servidores também protocolou pedido de audiência com o presidente Fernando Henrique, para discutir o reajuste salarial. A categoria defende um reajuste de 75,48%, mas o governo incluiu na proposta de orçamento para 2002 um aumento linear de 3,5% e outras vantagens para categorias específicas. Na manifestação em frente ao Palácio da Alvorada houve confronto entre parlamentares, sindicalistas e policiais militares. Os deputados Jandira Feghalli (PCdoB-RJ), Iara Bernarde (PT-SP), Jorge Bittar (PT-RJ), Aldo Rebello (PCdoB-SP) e Vanessa Granzottin (PCdoB-AM) afirmaram que foram agredidos pelos policiais. O líder do PT na Câmara, deputado Walter Pinheiro (BA), disse que vai apresentar uma reclamação à Corregedoria Geral da Câmara contra a agressão sofrida pelos parlamentares. Cem seguranças da Presidência e 110 policiais militares tentam impedir a aproximação dos manifestantes no Palácio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.