MST desocupa quatro praças de pedágio no Paraná

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) desocuparam 4 das 25 praças de pedágio que foram tomadas na última terça-feira, 17, em meio a manifestações do "abril vermelho". A informação é da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR).As ações fazem parte da Jornada de Lutas pela Reforma Agrária e lembram o massacre de Eldorado dos Carajás. Duas praças foram liberadas por força policial e duas espontaneamente. Segundo a associação das concessionárias, outras 17 praças já conseguiram liminar na Justiça para reintegração de posse. A entidade ainda não tem uma avaliação dos prejuízos causados por conta do movimento, que liberou a passagem dos veículos. A Companhia Concessões Rodoviárias (CCR), dona da RodoNorte, que administra no Estado uma extensão de 567 quilômetros de rodovias, teve seis das suas sete praças de pedágio ocupadas por integrantes do MST. Apenas a de Jaguariaíva (perto da divisão com São Paulo) não foi ocupada. As rodovias administradas pela RodoNorte formam o corredor de escoamento de um dos principais pólos de produção agrícola do Estado. O sistema abrange a BR-277 e a BR-376, ligando Curitiba às principais cidades no Norte do Estado; a BR-151, entre Ponta Grossa e Jaguariaíva, e a BR-373 - entre Ponta Grossa e o Trevo do Caetano, saída para o Norte do Paraná e Foz do Iguaçu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.