MST desocupa fazenda da família de acusado de massacre

A fazenda Rapa Pau, situada no município baiano de Itajuípe e pertencente à família de Adriano Chafik Luedy acusado de ser o mandante do massacre de Felisburgo (MG), quando cinco sem-terra foram mortos, foi desocupada depois de vinte dias de ocupação pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem terra (MST). Com o apoio de 210 homens da tropa de choque da Polícia Militar da Bahia, a propriedade, invadida em represália à chacina, foi desocupada nesta terça-feira.Em menos de uma hora, as 150 famílias que ocupavam a Rapa Pau deixaram pacificamente as terras entoando palavras de ordem do MST e exibindo um quadro representando o massacre. Elas foram levadas para o acampamento Pátria Livre situado a dez quilômetros da fazenda. A reintegração de posse foi deferida pelo juiz Paulo Souza Smith.Os líderes da invasão disseram que a ação teve êxito, pois queria pressionar o governo a prender Chafik. Os sem-terra teriam quebrado as portas das casas dos colonos, ameaçado os trabalhadores da fazenda e matado uma vaca para alimentar as famílias conforme o administrador Renato Martins dos Santos que também acusou os integrantes do MST de roubar cacau para ser vendido. Ele disse que vai fazer uma vistoria minuciosa na propriedade para levantar o total de prejuízo causado pelos invasores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.