MST desmonta acampamento e bloqueia rodovias no Rio Grande do Sul

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) cumpriu decisão judicial e desmontou nesta quinta-feira o acampamento que mantinha há cinco meses às margens da RS-406 em Nonoai, no norte do Rio Grande do Sul. Ao mesmo tempo, outros grupos de sem-terra protestaram contra a ordem de despejo bloqueando rodovias em Nova Hartz e Arroio dos Ratos, cidades próximas a Porto Alegre, e Sarandi e Coronel Bicaco, no noroeste do Estado.Os militantes do MST ficaram revoltados porque a ordem de despejo, emitida pelo juiz substituto Eduardo Benites em atendimento a uma ação do Departamento Estadual de Estradas e Rodagem (Daer), não considerou um acordo que eles haviam conseguido com a juíza titular, Lisiane Pires, no final do ano passado, pelo qual só teriam de deixar a área de domínio da rodovia quando o governo apresentasse outra área para acampamento ou assentamento.A decisão judicial vigorava desde janeiro, mas a saída não foi imediata porque a Brigada Militar tinha dificuldades para reunir o grupo de soldados necessário à operação. Na tarde de quarta-feira, o comandante regional do Planalto, coronel Valdir Cerutti, conseguiu mobilizar 300 policiais, convocando pelotões de outras regiões, e cercou o acampamento, dando prazo até às 8 horas desta quinta-feira para a saída pacífica. Os sem-terra não resistiram. Passaram o dia carregando seus pertences em 20 caminhões e se deslocaram para um acampamento provisório dentro de um assentamento no município de Serrinha. Os bloqueios às rodovias terminaram ao meio-dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.