MST decide não desfazer bloqueio em quatro rodovias do MS

Manifestantes ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), resolveram no final da tarde desta quarta-feira, 13, não interromper os bloqueios das rodovias BR-163 e Br-487, no Mato Grosso do Sul, extremo sul do Estado. São quase 1.500 sem-terra, que, para amenizar a tensão no local, improvisaram uma cozinha e estão fornecendo refeições para os motoristas parados no local desde 5h desta quarta, devido ao bloqueio. A interdição das duas rodovias, que fazem a ligação da região sul do MS com o Paraná, já dura três dias consecutivos. Conforme a decisão de que não haverá mais liberação das pistas durante o período noturno, e tampouco data para o final dos protestos, garantiram explicando que exigem uma decisão do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) sobre o assentamento de 1.600 famílias (cerca de 8 mil pessoas), na região. Em todo o Estado, o grupo reclama áreas para quase 30 mil sem-terra. Os manifestantes fecharam, também, as rodovias estaduais MS-060 e MS-162, durante todo o dia. No final da tarde liberaram os dois locais, situados entre Campo Grande e Sidrolândia, leste no MS, saídas para São Paulo, mas prometem voltar aos bloqueios na quinta-feira, 14.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.