MST dá início a onda de saques em PE

De forma organizada e planejada, sem-terra ligados ao MST foram para as estradas, em todas as regiões do Estado, dispostos a saquear. Tiveram sucesso em duas tentativas - contra um caminhão que transportava açúcar e um outro que carregava galinhas vivas - e falharam em outras três, em que a Polícia Militar apareceu a tempo. Em nenhum dos casos houve prisões. "Isso é só o começo", avisou o líder regional do MST, Jaime Amorim, referindo-se às ações previstas para toda esta semana, que marcam a Jornada de Luta Contra a Fome, a Miséria e as Conseqüências da Seca, e ao Dia Nacional do Trabalhador Rural, amanhã. "Vai ser uma semana movimentada". Segundo ele, saques, bloqueios de rodovias, protestos, ocupações de terra e atos públicos estão programados em vários municípios até a sexta-feira, com a participação da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA). A Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Pernambuco (Fetape), ligada à Contag, também promete várias ocupações de terra amanhã, quando pretende exigir a reforma agrária e uma política governamental ?permanente e eficiente?, que permita o convívio com a seca no semi-árido. Os saques ocorreram na PE-060, em Aliança, na Zona da Mata, e na BR-104, em Taquaritinga do Norte, no agreste. No primeiro, de acordo com o delegado local, Carlos Veloso, os sem-terra tomaram a pista da estrada por volta das 6h30, parando um ônibus. O caminhão, carregado com 513 galinhas vivas, parou atrás. O motorista José Carlos Araújo se surpreendeu com a presença de alguns deles, armados com facões, na cabine do veículo. Eles o forçaram a sair da rodovia e entrar num canavial. Ali, outros sem-terra os aguardavam e passaram a pegar as galinhas, acomodando-as em sacos. A Polícia Militar apareceu e conseguiu recuperar uma parte da carga. Na BR-104, oito homens armados com foices e enxadas abordaram um caminhão da Usina União Indústria, carregado com 15 toneladas de açúcar. De acordo com a assessoria da Usina, o motorista Antônio Góes entregou a carga, diante da ameaça, mas 90% do produto havia sido recuperado até o final da tarde pela Polícia Militar. As tentativas de saque ocorreram em Lajedo, no agreste, em Petrolândia, no sertão, e entre Taquaritinga do Norte e Santa Cruz do Capibaribe, no agreste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.