MST bloqueia rodovias e ocupa duas fazendas em Pernambuco

Ato integra a Jornada Nacional de Lutas pela Reforma Agrária, conhecida por 'Abril Vermelho'

Angela Lacerda, de O Estado de S. Paulo,

17 de abril de 2012 | 10h18

RECIFE – O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) fechou algumas das principais rodovias de acesso de Pernambuco na manhã desta terça-feira, 17, dentro da Jornada Nacional de Luta pela reforma Agrária – o Abril Vermelho.

De acordo com o movimento foram fechadas 10 rodovias – sete federais e três estaduais – além da ponte que liga as cidades de Petrolina (PE) a Juazeiro (BA), no sertão do São Francisco. A Polícia Rodoviária Federal no Estado (PRF-PE) confirmou quatro bloqueios e a Polícia Rodoviária de Pernambuco confirmou um. Segundo as assessorias de imprensa dos dois órgãos, não há mais nenhuma rodovia bloqueada.

O assessor da PRF no Estado, inspetor Éder Rommel, confirmou o bloqueio de quatro rodovias que cortam a região metropolitana e agreste do Estado. “Somente nas rodovias BR-101 e BR-232 passam diariamente 60 mil veículos”, afirmou Rommel, ao informar que estas vias já haviam sido desbloqueadas.

Já a comandante do Batalhão da Polícia Rodoviária do Estado, coronel Conceição Antero, afirmou que apenas uma rodovia estadual foi bloqueada, a PE-60, no movimentado acesso ao complexo industrial e portuário de Suape, no município metropolitano de Ipojuca. “Houve uma manifestação pacífica e eles já saíram do local”, disse ela.

A PRF-PE ainda faz o levantamento de todas as rodovias federais alvo da ação do MST, que explicou, em nota, que a ação é de âmbito nacional em “protesto contra a violência e a impunidade dos crimes cometidos pelo latifúndio”.

O MST também ocupou, nesta terça-feira, mais duas propriedades – nos municípios de Feira Nova e Pesqueira – totalizando oito invasões em Pernambuco desde o último sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
Abril VermelhoMSTreforma agrária

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.