MST bloqueia quatro rodovias e ameaça promover saques

Quatro bloqueios de rodovias federais foram realizados hoje por integrantes do Movimentodos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), reivindicando a distribuição regular e mensal de cestas básicas para 22 mil famílias em 169 acampamentos (números do MST-PE) no Estado. O líder regional do movimento e da direção nacional, Jaime Amorim, antecipou que se não houver um acordo com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) neste sentido, os sem-terra irão saquear a partir da próxima semana. ?É a única alternativa?, afirmou ele. As manifestações foram encerradas no final da manhã depois de ter sido marcada uma reunião, na próxima segunda-feira, com a superintendente-regional do Incra, Maria de Oliveira, e um representante da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). De acordo com Amorim, o governo federal se comprometeu, no final do ano passado, a distribuir cestas básicas mensalmente com os acampados. ?Até agora os trabalhadores receberam uma cesta básica e incompleta?, disse ele, que também quer ampliar o número de cadastrados. Hoje, segundo ele, são 16 mil, dos quais 14 mil recebem cestas. Todos os bloqueios foram feitos com queima de pneus, pedras e galhos de árvores. O que causou mais transtornos foi o realizado na BR-408, no quilômetro 86, no município metropolitano de Paudalho. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, a interdição durou quatro horas (7h30 às 11h30), provocando grande engarrafamento. Nos outros locais, o movimento de veículos não era tão intenso e havia possibilidade de desvios. Foram eles: na BR-101 nos quilômetros 124 (município de Gameleira) e 157 (Escada), na zona da mata; e BR-232, quilômetro 143 (município de São Caetano), no agreste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.