MST bloqueia estradas e faz reocupações em PE

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) promoveu nesta terça-feira três reocupações de terra, quatro bloqueios de rodovias e um ato público em Pernambuco como forma de pressionar o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) a realizar vistorias e desapropriações de áreas consideradas prioritárias pelo movimento.O bloqueio da BR-232 no município metropolitano de Moreno foi o que causou maior transtorno. O engarrafamento foi de cerca de cinco quilômetros. Na BR-101, os trabalhadores interditaram três pontos, nos municípios de Escada, Igarassu e Goiana, na Zona da Mata. Eles atearam fogo em pneus, galhos e troncos em cada um dos bloqueios, que foram liberados no final da manhã. As áreas reocupadas foram as fazendas Cavaco, em Xexéu, na Zona da Mata e as propriedades Uberaba e Papagaio, respectivamente em Bonito e São Caetano, no Agreste. Todas elas antigas reivindicações do movimento.De acordo com o dirigente nacional do MST, Jaime Amorim, o Incra não desapropriou uma só área solicitada pelo movimento neste ano, na área de competência do Incra-Recife. As poucas vistorias realizadas, segundo ele, não contemplaram as prioridades do MST, que são alvo de disputa há muito tempo, têm na sua história a morte de trabalhadores rurais e ainda se encontram pendentes. Na quarta, representantes do movimento voltam a se reunir com a superintendente do Incra, Maria de Oliveira, em busca de um acordo. "Se o Incra nada fizer, deveremos ter mais ocupações, os trabalhadores vão se mobilizar", antecipou Amorim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.