MST aproveita Dia da Mulher para promover invasão

A coordenação estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) decidiu comemorar o Dia Internacional da Mulher hoje ocupando a sede da Coordenação de Desenvolvimento Agrário da Secretaria da Agricultura da Bahia, situada no Bairro de Ondina, orla marítima de Salvador. Pelo menos 1.700 militantes invadiram o local no final da manhã após uma marcha de 15 quilômetros, que provocou engarrafamentos em várias avenidas de vale da cidade. O coordenador do MST-Bahia Walmir Assunção a ocupação ocorreu porque o governo baiano não teria cumprido o acordo acertado com a direção do movimento em setembro do ano passado, que previa uma série de melhorias nos assentamentos. Segundo ele, o governo prometeu-se implantar cinco cursos de nível médio; criar um programa de saúde especial para os assentamentos e garantir o fornecimento de energia elétrica nas áreas. Além disso, o acordo previa a assinatura de um convênio entre o governo estadual e o Instituto Regional de Colonização e Reforma Agrária para apressar os processos de vistoria e desapropriação de terrenos, mas nada foi cumprido até agora. Assunção afirmou que a ocupação irá perdurar até que representantes do governo explicassem os motivos do atraso no cumprimento das reivindicações. No acampamento montado pelo MST na Avenida Jorge Amado para a comemoração do Dia Internacional da Mulher várias palestras foram realizadas por ícones do movimento como a mulher de José Rainha, Diolinda Alves que incentivou uma participação feminina mais expressiva nas lutas sociais e aproveitou para mais uma vez condenar o plantio de transgênicos no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.