MST apedreja ônibus em Alagoas

Cerca de 500 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra de Alagoas (MST/AL) bloquearam hoje pela manhã um trecho da BR-104, próximo ao acesso a cidade de Murici, a 59 quilômetros de Maceió. Um ônibus da empresa Atlântica tentou furar o bloqueio e foi apedrejado pelos manifestantes, mas ninguém saiu ferido. O bloqueio começou no início da manhã e terminou no final da tarde, quando as lideranças do movimento conseguiram parte das reivindicações. Eles conseguiram com o prefeito de Murici. Remi Calheiros (PMDB), a doação de 100 cestas-básicas, a promessa de compra de 100 rolos de lona plástica pretae a distribuição de semente, num prazo de 30 dias. Além disso, o Movimento conseguiu agendar uma reunião para quarta-feira com o governo do Estado, quando será discutida à inclusão de dois assentamentos (Pacas e Dom Hélder Câmara) e dois acampamentos (Bolo e Taboal) no Projeto Luz do Campo, para a iluminação dessas áreas. Eles querem também o atendimento do Programa Saúde da Família. As lideranças do MST de Alagoas alertam, porém, que se essas reivindicações não forem atendidas novos bloqueios ocorreram. No início do bloqueio da BR-104, que liga Alagoas a Pernambuco, pela Zona da Mata, eles reivindicavam agilidade nos processos de desapropriação e a liberação de cestas básicas para 500 famílias. A rodovia só foi desbloqueada depois da interferência do Núcleo de Gerenciamento de Crises da Polícia Militar de Alagoas e do prefeito Remi, irmão do senador Renan Calheiros. Segundo ele, os sem-terra ameaçavam invadir a cidade, o que provocou o fechamento do comércio e da agência do Banco do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.