MS tenta conter atuação do PCC em presídios

Denúncias de que existem pelo menos 20 membros do PCC (Primeiro Comando da Capital) em 17 presídios e penitenciárias de Mato Grosso do Sul estão movimentando as autoridades do sistema penitenciário e policiais. No começo do mês passado foram identificados três participantes do PCC, que foram transferidos através de permutas para cadeias do Paraná, segundo a superintendente de Políticas Penitenciárias, Andréa Flores. Ela explicou que desde o início desta semana está em plena ação um programa para prevenir e repreender a formação de quadrilhas ou grupos como o PCC nos presídios do Estado. Na segunda-feira última por exemplo, houve uma vistoria geral nas celas do Instituto Penal de Campo Grande e na Penitenciária de Segurança máxima, onde foram encontradas dezenas de "trouxinhas" de maconha, armas e celulares. "Temos informações extra-oficiais de que existem grupos do PCC nos presídios do Estados. Entretanto ainda não podemos saber exatamente o número, quem são, mas estamos tomando todas as medidas na solução do problema". Depois comentou que a situação penitenciária no Mato Grosso do Sul é muito tranqüila.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.