MPs vão beneficiar 350 mil servidores

As duas medidas provisórias que determinarão novos aumentos para as categorias ainda não reajustadas do funcionalismo público federal deverão ser enviadas ao Congresso ainda nesta semana, segundo adiantou ontem o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. Ele afirmou que estão sendo levados em conta "a formação e o currículo" dos servidores, inclusive da Receita Federal e do Banco Central. Segundo o ministro explicou em entrevista após palestra no Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF), para parte das categorias o reajuste será concedido em forma de subsídios, e para outra parte em forma de remuneração mais tradicional. Ambas as MPs já estão em análise na Casa Civil. "Estamos conferindo, junto com a Casa Civil, todos os artigos e tabelas para ver se não cometemos erro, e vamos mandar (ao Congresso) provavelmente nesta semana", afirmou. "Procuramos valorizar, nos aumentos, a formação e o currículo dos servidores." As duas medidas deverão beneficiar cerca de 350 mil funcionários públicos, de 54 categorias. UNIVERSIDADES O ministro chegou a exemplificar que um doutor da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), por exemplo, que ganha cerca de R$ 4 mil, terá o salário reajustado para algo em torno de R$ 11 mil até 2010. "Nas universidades, os doutores e mestres tiveram reajustes mais alentados, maiores, nos institutos de pesquisa também." O grupo de servidores contemplado pelas duas medidas provisórias havia ficado de fora da MP 431, que já foi aprovada pela Câmara dos Deputados e reajusta a remuneração de militares das três Forças e de outras 16 carreiras e categorias do funcionalismo público federal. Segundo Paulo Bernardo, o impacto dos reajustes de militares e civis no Orçamento será de R$ 11,5 bilhões.

Jacqueline Farid, RIO, O Estadao de S.Paulo

30 Julho 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.