MPF reitera acusação contra réus da Operação Rodin

O Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul entregou à Justiça Federal de Santa Maria as alegações finais da denúncia criminal contra 32 acusados de participação na fraude do Detran nesta quinta-feira, mantendo o pedido de condenação por formação de quadrilha, peculato, corrupção passiva e ativa, falsidade ideológica, indevida dispensa de licitação e locupletamento em dispensa de licitação.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

19 de setembro de 2013 | 19h41

A irregularidade foi descoberta em 2007 pela Operação Rodin da Polícia Federal. A investigação indicou que fundações contratadas pelo Detran terceirizavam serviços para empresas que superfaturavam os preços e distribuíam propinas para agentes públicos. O esquema funcionava desde 2003 e teria desviado R$ 44 milhões dos cofres públicos.

A entrega das alegações é o último ato do MPF no processo. A partir de agora, os advogados de defesa têm mais 30 dias para apresentar seus argumentos finais. Depois o caso entra em sua fase final, a do julgamento.

Mais conteúdo sobre:
MPFOperação Rodin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.