MPF-DF denuncia ex-senador por contratos sem licitação

De acordo com o MPF, foram alvo de irregularidades ao menos seis contratos realizados entre 2006 e 2008

ERICH DECAT, Agência Estado

21 de julho de 2014 | 18h13

O Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF-DF) apresentou à Justiça Federal ação penal pública contra o ex-senador Efraim Morais, o ex-diretor geral adjunto do Senado Federal José Alexandre Lima Gazineo e cinco empresários por contratações sem licitação com o Senado. A 12ª Vara Federal da Seção Judiciária do DF irá analisar o caso.

De acordo com o MPF, foram alvo de irregularidades ao menos seis contratos realizados entre 2006 e 2008, período em que Efraim Moraes ocupou a cadeira de primeiro-secretário do Senado. Entre as atividades previstas nos contratos estava a prestação de serviços de clipping eletrônico e de divulgação institucional da Casa em páginas da internet.

"O acusado Efraim de Araujo Morais concorreu para a prática dos atos criminosos ao ratificar a inexigibilidade de licitação", diz trecho da peça elaborada pelo Núcleo de Combate à Corrupção do MPF e assinada pelo procurador Anselmo Henrique Cordeiro Lopes.

Segundo o MPF, foram omitidas, entre outras exigências: a elaboração de documento com caracterização do objeto a ser adquirido e explicitação das razões da contratação direta. Além disso, não houve a publicação do extrato de inexigibilidade de contratação com informações sobre a contratada, data de início da vigência, seu valor e duração. Os valores dos contratos variaram entre R$ 12 mil e R$ 48 mil, por um ano.

"O Ministério Público Federal requer que seja recebida a peça acusatória, sejam os acusados citados para responder por escrito à acusação, na forma do art. 396 do CPP, e, ao final, seja julgada procedente a presente ação penal, com a justa condenação dos oras denunciados", diz trecho final do documento.

Tudo o que sabemos sobre:
MPF-DFSenado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.