MPF denuncia prefeito de Palmas por crime eleitoral

TRE-TO não aprovou contas da campanha eleitoral de sua mulher por identificar irregularidades

Laílton Costa, especial para O Estado

05 de julho de 2012 | 20h23

Em meio às notícias de ter oferecido, ao contraventor Carlinhos Cachoeira, contratos públicos em troca de financiamento eleitoral na campanha de 2004, o prefeito de Palmas (TO), Raul Filho (PT), pode virar réu em ação penal ajuizada nesta quinta-feira, 5, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-TO) pela Procuradoria Regional Eleitoral, do Ministério Público Federal no TO.

O procurador eleitoral Rodrigo Luiz Bernardo dos Santos acusa o petista, sua mulher, a deputada estadual Solange Duailibe (PT), e os empresários Fernando Teixeira Felipe e Antonio Divino Vieira Júnior de falsificação de documentos para justificar suposto empréstimo de R$ 130 mil usados na campanha de Solange em 2010.

Ao julgar e reprovar, por unanimidade, as contas de campanha de Solange, o TRE não identificou a origem do dinheiro, correspondente a 32% dos R$ 300.951,99 declarados. Para justificar o caixa dois, Solange apresentou confissão de dívida de um empréstimo obtido junto a Felipe, além de Guia de Trânsito Animal da Agência de Defesa Agropecuária do Pará e nota fiscal na tentativa de provar que o empréstimo fora pago com 260 bezerros pertencentes a Raul Filho.

Para o MPF, na documentação apresentada há informações falsas. Os empresários não foram localizados. O prefeito e sua mulher disseram que só comentarão quando conhecerem o teor da denúncia.

Tudo o que sabemos sobre:
CPI do CachoeiraMPFTOcrime eleitoral

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.