MPF denuncia governador Roriz por corrupção passiva

O Ministério Público Federal denunciou hoje o governador do Distrito Federal (DF), Joaquim Roriz (PMDB), por crime continuado de corrupção passiva na campanha eleitoral de 1998. Roriz é acusado de ter recebido dinheiro do empresário Manoel Ventura Durso, suspeito de explorar o jogo do bicho no DF. Roriz e Durso teriam acertado uma contribuição mensal de R$ 10 mil para a campanha, que posteriormente teria sido aumentada para R$ 15 mil, sustentou o MP. Em troca, o empresário teria recebido a promessa de monopólio na exploração de loteria.Durante uma reunião com o governador, Durso teria demonstrado preocupação com a intenção de empresários de outros Estados de atuarem em Brasília, entre os quais Messias Ribeiro e Carlos Cachoeira, então donos da Gerplan, argumentou o MP. Essa empresa goiana ficou famosa após a divulgação de uma gravação na qual o ex-subchefe de assuntos parlamentares da Casa Civil, Waldomiro Diniz, pedia dinheiro a Cachoeira para campanhas eleitorais e para ele próprio. De acordo com a subrprocurador-geral da República Deborah Duprat, autora da denúncia, Roriz teria dito que Durso poderia "ficar tranqüilo que outros de fora de Brasília não entrariam".Hojeo porta-voz do governador, Paulo Fona, criticou a denúncia do MP. "Quanto ao governador, mais uma vez parcela do MP tenta encontrar elementos com o objetivo de incriminá-lo sem sucesso. É estranho que tenham se passado seis meses, sem que o governador tenha sido ouvido, e essa parcela do MP tenha denunciado", afirmou.De acordo com a denúncia, Durso também teria confeccionado durante a campanha um panfleto intitulado "Venderam o PT", quando as pesquisas de opinião apontavam o candidato da oposição, Cristovam Buarque (PT), como vencedor no segundo turno. Na ocasião, espalhou-se o boato de que o panfleto - que conclamava os eleitores do PT a anularem o voto - teria sido produzido por militantes petistas descontentes."Não faltam indicações seguras de que Manoel despendeu considerável importância para a campanha do denunciado ao governo do Distrito Federal, além de ter confeccionado panfleto apócrifo que contribuiu decisivamente para a vitória de seu candidato", afirmou a subprocuradora Deborah Duprat na denúncia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.